CORONAVÍRUS: BRADESCO, ITAÚ E OUTRAS EMPRESAS ANUNCIAM DOAÇÕES

O Itaú Unibanco anunciou nesta segunda-feira (13) a doação de R$ 1 bilhão para financiar ações de combate ao coronavírus no Brasil. Outras grandes empresas e empresários brasileiros também já anunciaram doações para ajudar no combate ao coronavírus, como Bradesco, Santander, Gerdau, Ambev, Rede D’Or, Petrobras, Vale. Veja ações anunciadas até agora: 

Itaú Unibanco

Em comunicado, o banco informou que uma equipe formada por sete especialistas na área da saúde será responsável pela gestão e aplicação dos recursos. “Esta nova iniciativa dá a dimensão do quanto estamos preocupados e engajados na solução da crise”, afirmou em comunicado o presidente do Itaú Unibanco, Candido Bracher. De acordo com ele, “é a maior doação privada já feita no Brasil para uma causa específica”. O Itaú já tinha anunciado uma doação de R$ 250 milhões, sendo R$ 150 milhões por meio da Fundação Itaú para Educação e Cultura e do Instituto Unibanco. Segundo o banco, a doação de R$ 1 bilhão anunciada nesta segunda “se soma a outras já anunciadas”. A equipe de especialistas será liderada pelo médico Paulo Chapchap, doutor em clínica cirúrgica pela Universidade de São Paulo e diretor-geral do Hospital Sírio Libanês.

Completam o grupo de especialistas: Drauzio Varella, médico, cientista e escritor ; Gonzalo Vecina Neto, ex-presidente da Anvisa ; Maurício Ceschin, ex-diretor-presidente da Agência Nacional de Saúde (ANS); Eugênio Vilaça Mendes, consultor do Conselho dos Secretários de Saúde (Conass); Sidney Klajner, presidente do Hospital Albert Einstein; Pedro Barbosa, presidente do Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), instituição ligada à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). “Esta equipe definirá as ações a serem financiadas, de forma que as decisões estratégicas sejam respaldadas por premissas técnicas e científicas”, informou o Itaú. A iniciativa do Itaú, batizada de “Todos pela Saúde”, distribuirá os recursos com base em quatro eixos:

Informar: campanha de incentivo ao uso de máscaras; orientação da população para higiene das mãos e etiqueta da tosse; valorização das iniciativas de solidariedade da sociedade civil; Proteger: disponibilização de equipamentos de proteção individual e testagem para profissionais de saúde; testagem populacional para orientar ações de saúde pública; Cuidar: apoio aos gestores públicos estaduais e de grandes municípios na estruturação de gabinetes de crise; capacitação e apoio aos profissionais de saúde em melhores práticas, protocolos e terapêuticas; uso de telemedicina para monitoramento de casos e apoio aos profissionais de saúde; ampliação da capacidade e eficiência em estruturas hospitalares referenciadas; compra e distribuição de insumos estratégicos, além da mobilização de equipamentos e recursos humanos; Retomar: colaboração para o desenvolvimento de estratégias, visando o retorno mais seguro às atividades sociais, e programas de monitoramento da população com risco elevado.

Bradesco, Santander e Itaú

Bradesco, Itaú e Santander, assumiram a responsabilidade de importar 5 milhões de testes rápidos de detecção da doença, além de equipamentos médicos, como tomógrafos e respiradores. Os três maiores bancos privados brasileiros doaram R$ 50 milhões para a compra de aproximadamente 15 milhões de máscaras, que serão produzidas por microempreendedoras. O Bradesco também está importando 500 monitores de UTI para o apoio hospitalar no tratamento do novo coronavírus. E um grupo formado por Bradesco Seguros, Lojas Americanas, Banco Safra e Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) está investindo R$ 20 milhões na construção de um hospital em conjunto com a Rede D´Or (veja a seguir).

Rede D’or

No Rio, a Rede D’or está a frente da construção e operação do hospital de campanha na autoestrada Lagoa-Barra. A unidade vai atender pacientes vítimas da Covid-19. Com 200 leitos, o projeto do hospital definiu 100 deles para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 100 para enfermaria, com aparelhos de ultrassom e ecocardiograma, laboratório de patologia clínica, tomografia digital e radiologia convencional. A expectativa é que a unidade fique pronta até o fim do mês de abril. Ela deve funcionar por quatro meses, durante o período mais grave da pandemia do coronavírus. Ao todo, o hospital custará R$ 45 milhões. A Rede D´Or arca com R$ 25 milhões, e o restante do valor é custeado, igualmente, pela Bradesco Seguros, Lojas Americanas, Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP) e o Banco Safra. De acordo com a rede, a construção e funcionamento do hospital de campanha devem gerar mais de mil empregos diretos e indiretos. Nesta segunda, o governador Wilson Witzel (PSC-RJ) informou que assinou com um grupo de empresários, tendo à frente a Rede D’Or São Luiz, convênios para a construção de dois hospitais de campanha, um no Leblon, e um no Parque dos Atletas, na Barra da Tijuca – cada um com capacidade para 200 leitos.

Vale

A Vale é uma das empresas que está destinando recursos para a obra do hospital no Parque dos Atletas, no Rio, com previsão de conclusão na primeira quinzena de maio. A mineradora também anunciou a compra de 5 milhões de kits de testes rápidos para o novo coronavírus. Os testes, que permitem ter um resultado em apenas 15 minutos, foram comprados na China e devem ser entregues ao governo brasileiro até meados de abril. A empresa também está comprando de fornecedores chineses equipamentos de proteção individual, como óculos, luvas e máscaras, para médicos e enfermeiros. O material também será encaminhado ao governo brasileiro. O valor do investimento não foi informado. A Vale também está fazendo doação de material de limpeza, kits de higiene pessoal, álcool gel, camas hospitalares, ambulâncias e equipamentos de proteção individual a prefeituras e hospitais públicos de alguns estados. No Pará , doou R$ 1,5 milhão na reforma de uma sala de internação do Hospital Muncipal de Paraupebas.

Gerdau e Ambev

As duas empresas se uniram ao Hospital Israelita Albert Einstein e à Prefeitura de São Paulo, e anunciaram ajuda na construção de um hospital com 100 leitos para atender o público exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A Gerdau oferecerá o aço, que servirá como principal matéria prima para o método construtivo, e Ambev vai contribuir na gestão do projeto. O valor do investimento não foi informado. O centro de tratamento será construído anexo ao Hospital Municipal M’Boi Mirim, na zona sul de São Paulo. De acordo com a assessoria da Ambev, os primeiros 40 leitos foram entregues nesta segunda-feira (13). Segundo o anúncio, o total de 100 leitos será finalizado até 30 de abril. A unidade de saúde, posteriormente, será entregue à Prefeitura de São Paulo.

Petrobras

A estatal entregou ao Sistema Único de Saúde (SUS) o primeiro lote de 300 mil testagens para diagnóstico de Covid-19. Desses, 200 mil foram doados ao Ministério da Saúde e 100 mil à Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro. Esses testes fazem parte do lote de 600 mil que a companhia encomendou aos EUA. A previsão é que a Petrobras receba os outros 300 mil testes restantes até o mês de maio.

A petroleira informou também que irá direcionar parte da capacidade de processamento de computadores de alto desempenho (HPC) – os chamados “supercomputadores” – para colaborar com pesquisas de universidades sobre o combate ao coronavírus.

Lojas Americanas

A Lojas Americanas já fez doações de mais de R$ 45 milhões para o sistema de saúde e ONGs do país. Desse total, R$ 20 milhões foram direcionados para a prestação de serviços de entrega e logística para o estado de São Paulo. A companhia colocou à disposição do estado a sua malha logística e de distribuição.

Além disso, a empresa já doou R$ 15 milhões em 80 respiradores para hospitais públicos; R$ 5 milhões para construção do hospital de campanha no Rio de Janeiro; R$ 1,2 milhão em 20 mil kits de teste rápido; R$ 200 mil em termômetros de alta performance para o Governo do Estado do Espírito Santo e para a Prefeitura de Salvador; 10 milhões de máscaras para proteção de associados e clientes; 3 milhões de ovos de páscoa para todos os estados; 1.800 pacotes de fraldas (Unicef e Retiro dos Artistas); 1 milhão de águas para ONGs (Visão Mundial em Recife e Manaus) e Ação da Cidadania (Rio e São Paulo); 50 mil cestas básicas para ONGs (Ação da Cidadania) e elásticos para confecção de máscaras para o estado da Bahia.

BRF

A companhia de alimentos BRF anunciou a doação de R$ 50 milhões em alimentos insumos médicos e apoio a fundos de pesquisa e desenvolvimento social. A ação alcançará hospitais, Santas Casas, organizações de assistência social e profissionais de saúde nos estados e municípios em que a empresa possui operação. Em um primeiro momento, serão contemplados cerca de 60 hospitais em 50 cidades de 9 estados.

A empresa também prevê a doação de insumos médicos, como testes e termômetros, de equipamentos de proteção individual, como capas plásticas, toucas e batas descartáveis, álcool em gel, respiradores e outros que se façam necessários.

BB Seguros

A BB Seguros anunciou a doação de R$ 40 milhões para ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade social. Os recursos serão destinados para a compra de alimentos e produtos de higiene e limpeza. A iniciativa também apoia micro e pequenos empreendedores que serão os principais fornecedores dos insumos. Os recursos serão disponibilizados à sociedade por meio de entidades assistenciais de todo o país.

BTG Pactual

O banco e seus sócios anunciaram uma doação de R$ 50 milhões. Os recursos serão destinados a quatro frentes: apoio a profissionais da saúde e compra de equipamentos e materiais para garantir atendimento à população; apoio a hospitais para aumento da capacidade de leitos; suporte à população mais vulnerável; e fomento à testagem em grande escala.

Banco BV

O banco anunciou a doação de R$ 30 milhões e iniciou uma campanha digital para arrecadação de recursos que serão destinados para compra de insumos hospitalares e distribuição de itens de primeira necessidade a projetos sociais. Deste valor, R$ 5 milhões serão destinados a um novo hospital de campanha instalado na zona oeste do Rio de Janeiro. A instituição também criou uma linha de crédito de R$ 50 milhões para fornecedores nacionais de equipamentos e serviços hospitalares.

XP Investimentos

A corretora doou R$ 25 milhões e iniciou uma campanha para engajar clientes e funcionários, que até esta segunda-feira (13) já contribuíram com R$ 6 milhões.

Grupo Votorantim

A família Ermírio de Moraes, dona do grupo Votorantim, anunciou a doação de R$ 50 milhões para iniciativas de combate ao coronavírus.

Alliansce Sonae

A administradora de shopping centers anunciou plano de mais de R$ 300 milhões em iniciativas de apoio ao varejo, sociedade e órgãos de saúde. No varejo, as medidas envolvem suporte financeiro, isenções e parcelamentos a lojistas. A empresa também vai doar 35 mil cestas básicas e 75 mil máscaras; e contribuir para ativação de 60 leitos de UTI.

Grupo J&F

O Grupo J&F informou que doou R$ 27 milhões do acordo de leniência assinado com o Ministério Público Federal à Fiocruz para compra de testes sorológicos no combate à Covid-19.

As empresas JBS, Flora e Eldorado Brasil doaram 12 mil equipamentos de proteção individual, 21 toneladas de alimentos e 405 toneladas de produtos de higiene e limpeza para hospitais municipais nos 17 estados onde o grupo mantém operações. Equipamentos de proteção, como uniformes e máscaras para garis, também foram doados.

Magazine Luiza

As famílias Trajano e Garcia, controladoras da varejista Magazine Luiza, doaram R$ 10 milhões do patrimônio para iniciativas de combate à crise do coronavírus.

Família Menin

A família Menin anunciou doação de R$ 16 milhões em ações contra a Covid-19.

Diageo e Pernod Ricard

As fabricantes de bebidas anunciaram a produção e o envase de 88 mil litros de álcool em gel, destinados ao sistema de saúde dos estados do Rio de Janeiro e do Ceará.

A Diageo, dona de marcas como Johnnie Walker, Smirnoff, Ypióca e Tanqueray, produziu e envazou 50 mil litros de álcool em gel 70%. A empresa usou a infraestrutura da fábrica em Fortaleza, para produzir e envasar 100 mil embalagens. A produção foi doada à Secretaria da Saúde do Ceará.

Já a Pernod Ricard, dona de marcas como Absolut, Ballantine’s, Chivas Regal e Jameson, informou que produziu na fábrica de Resende (RJ) 36 mil litros de álcool em gel. O produto foi doado para hospitais localizados nos municípios de Volta Redonda, Resende, Quatis, Porto Real e Barra Mansa, todos no sul do Estado do Rio de Janeiro.

Marfrig

A Marfrig Global Foods, maior produtora de hambúrgueres do mundo, doou R$ 7,5 milhões para o Ministério da Saúde para compra de testes rápidos para diagnosticar a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

A empresa anunciou também a produção de 10 toneladas mensais de álcool gel em sua unidade de Promissão, no interior de São Paulo. O produto será distribuído aos colaboradores e a hospitais e instituições assistenciais localizadas nas comunidades onde a Marfrig opera.

Renner

A companhia, por meio de seu braço social Instituto Lojas Renner, está destinando R$ 4,1 milhões para custear a aquisição de suprimentos básicos e fundamentais no tratamento da doença e conter sua disseminação. Como parte dessa ação, a empresa anunciou a doação de 1,3 milhão de máscaras e aventais para hospitais.

Coca-Cola Brasil

A fabricante de bebidas criou um fundo para beneficiar comunidades de baixa renda e catadores de resíduos com ações diretas contra o coronavírus. Em um primeiro momento, serão destinados cerca de R$ 30 mil a cada uma das 71 comunidades atendidas por ONGs e instituições parceiras da empresa.

A companhia também apontou que vai contribuir para que cerca de 11 mil catadores de rua autônomos ou que trabalham nas 230 cooperativas apoiadas recebam R$ 600 por um período de dois meses.

Unilever

A Unilever anunciou a doação de 70 toneladas em produtos de higiene e limpeza para o estado do Rio de Janeiro com o objetivo de ajudar na contenção do coronavírus. Segundo a empresa, os itens serão distribuídos pelo governo do Rio para as pessoas em situações de vulnerabilidade, hospitais e entidades de assistência a idosos. Nesta segunda (13), foi anunciada uma nova doação, de 50 toneladas, de produtos de limpeza profissional para hospitais públicos de RJ e SP.

Suzano

A família Feffer, controladora da produtora de celulose e papel Suzano, investiu R$ 60 milhões na produção de 60 toneladas de papel higiênico para doação e aproximadamente 4 toneladas de fraldas.

Klabin

A companhia doou itens hospitalares, embalagens para transporte de alimentos e produtos de higiene para hospitais, entidades e clientes com iniciativas nas áreas de saúde e assistência social, especialmente nas regiões onde tem operação.

Hering

A Hering anunciou que mobilizou parte de sua produção para fazer uniformes de proteção para os profissionais da saúde. E que milhares de peças serão doadas a diversos hospitais para ajudar a combater o novo coronavírus.

Família Diniz

A família Diniz, fundadora dos supermercados Pão de Açúcar e controladora da Península Participações, faz parte do movimento UniãoSP, que já arrecadou duas mil toneladas de alimentos para famílias mais vulneráveis na capital e em três municípios de São Paulo.

EDP

A EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico, doou R$ 6 milhões à organização social Comunitas para a compra de respiradores hospitalares necessários para atender a leitos de UTIs dos hospitais públicos no estado de São Paulo. No total, a campanha da Comunitas arrecadou R$ 23,4 milhões com a ajuda de 150 empresas.

PSA Peugeot Citroën

A fabricante de veículos de origem francesa anunciou a produção de protetores faciais em sua unidade de Porto Real (RJ) para serem usados por profissionais da saúde no combate ao coronavírus. Os equipamentos serão doados para autoridades das cidades próximas, e vão ser produzidos em parceria com a Fablab de Resende, cidade vizinha.

General Motors

A GM, dona da Chevrolet, líder do mercado automotivo do Brasil, está mapeando os respiradores quebrados do país, para uma força-tarefa para reparar os aparelhos. Para isso, vai adaptar suas fábricas brasileiras e mobilizar uma rede de funcionários voluntários. A empresa estima que há 5 mil respiradores parados.

Baterias Moura

A Moura, que atua no segmento de baterias, anunciou a doação de 100 mil máscaras para reforçar as medidas de proteção individual na luta contra o coronavírus. A produção será coordenada pela empresa. A máscara foi desenvolvida pelas equipes de engenharia da Moura. Elas serão destinadas à população, aos funcionários e suas respectivas famílias e aos profissionais das revendas da marca em todo país.

Cacau Show e Lacta

A Cacau Show anunciou a doação R$ 1,4 milhão em chocolates para hospitais, postos de saúde e hemocentros, além da entrega de 300 mil ovos de páscoa, em todo o país, para instituições de caridade, escolas e empresas de serviços essenciais — como limpeza, manutenção e segurança.

A empresa anunciou ainda a doação de R$ 1 milhão ao governo de São Paulo para a compra de respiradores para os hospitais mais necessitados do aparelho.

A Lacta anunciou a doação de mais de meio milhão de ovos de Páscoa para diversas entidades e instituições que atendem a pessoas em vulnerabilidade social.

Fundação Lemann

A fundação do empresário Jorge Paulo Lemann tem dado suporte com estrutura de ensino à distância para que 40 milhões de alunos da rede pública de educação possam ter aulas e acesso a conteúdo didático.

Invepar

O grupo Invepar anunciou a doação de 30 toneladas de alimentos para apoiar comunidades carentes no entorno de suas empresas no Brasil em quatro estados (Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Bahia). A instituição irá liderar, ainda, ações de arrecadação em todo o país. A iniciativa faz parte da campanha Nós, criada pelo Instituto Invepar, em apoio às pessoas afetadas pelas consequências da quarentena no país.

A primeira fase da ação consiste na doação de 15 toneladas de cestas básicas em comunidades dos bairros de Del Castilho, Mangueira, Jacarezinho, Coelho Neto, Acari e Pavuna, no Rio de Janeiro, próximas à Linha Amarela e a estações do MetrôRio.

Produtores de cachaça e usinas de etanol
O Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac), anunciou que vai doar 70 mil litros de álcool 70%. O volume será destinado para o Sistema único de Saúde (SUS) para o atendimento do público. Os serviços do SUS que receberão as doações serão, inicialmente, de cidades dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Alagoas e Rio Grande do Sul. O produto deverá ser entregue “nos próximos dias”.

A Tereos, uma das gigantes do setor da cana-de-açúcar, anunciou que vai doar 2 mil litros de álcool líquido 70% para hospitais e postos de atendimento do SUS dos municípios de Assis, Ibirarema e Palmital.

A Atvos, que opera usinas de etanol em 5 estados brasileiros, cederá gratuitamente 160 mil litros de álcool 70% para instituições de São Paulo, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. O produto será destinado a Secretarias Estaduais de Saúde, Prefeituras e Secretarias Municipais de Saúde, associações de classe, sindicatos ou organizações não governamentais.

G1

Você pode gostar...